14.7.15

Sobre uma foto do rio São Francisco


O tempo vai fazendo o seu trabalho
e eu aplicadamente o contrario
 – não com força bastante para pará-lo
mas com a da corrente deste rio

que puxa um barco de volta pro mar
e o barco o vai vencendo, indiferente,
rumo à nascente onde não chegará.
Assim resisto. O tempo segue em frente.

E enquanto segue somos companheiros,
sem nunca coincidir, meu não, seu sim.
Quando encontrar o porto, o marinheiro

da margem se despedirá de mim.
O tempo terá sido passageiro –
eu, rio, em direção ao mar, sem fim.



14-07-2015

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email