5.9.05

A idade de ouro


A felicidade saltava e lambia
língua áspera saliva espessa
nunca soubeste é se era mesmo carícia
a gosma morna em que te adormecia
cheiro de calda doce de compota
tardes sem pressa na casa da tia
e o tempo que já não volta
silêncio, banzo, fogo lento
te amolecendo, te amolecendo
quando acordaste era já outro o dia

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email