26.5.06

Explicação do crepúsculo



Todos os dias, ao fim do dia
a tarde, minha velha tia
sente a cabeça a girar

apoia as mãos na janela
onde ainda há pouco, jovem, bela
o sol a vinha buscar

anda passear lá fora
namorar, fazer bebês
madrugadas, novos dias

a tarde se derretia
dizia não sei, talvez

tudo isso passou, agora
cotovelos na janela
vê de partida quem por ela
faz tempo não brilha mais

vai, bandido, vai-te embora
sai do meu dia, me esquece
que uma tarde que se preze
não chora

na noite que principia
a tarde pede os seus sais
mas a casa está vazia
titia fica tonta e cai

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email