8.10.05

Diagnóstico



Mora em mim um poeta com febre
a noite inteira em silêncio recita
longos poemas que depois esquece
ou que, se os recorda, por preguiça
de manhã não escreve

mora em mim esse artista calado
de madrugada esses passos que sinto
é ele que percorre de alto a baixo
a noite inteira o seu labirinto
o poema trancado

1 comentário:

Follow by Email