23.8.06

Bênção



E se ele se fartasse exatamente
no instante em que se visse a mão de um deus
despetalando os céus no seu cabelo
e logo então seus olhos, para não vê-lo
corressem sobre o mundo um véu de adeus

e se ele as costas desdenhosamente
a tanta bênção despejada em vão
já senhor de não ser nem querer nada
voltasse nessa hora desastrada
fixos os olhos e cerrada a mão

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email